03
Abr 09

Os sonhos estatelaram-se como copos que atirei à parede e se desfizeram em mil cacos e de repente vejo a minha vida em infinitos fragmentos de vidro iguais a nada, e então vou buscar uma vassoura daquelas pequenas que parecem de brincar e uma pá a condizer e tento apanhar os fragmentos infinitos e varro com cuidado, sabendo que atrás da porta, ou junto do rodapé, ou estranhamente projectado a mais de três metros, há um que me vai cortar mesmo o pé e, por mais que não queira, por mais que fuja, vou mesmo sofrer.

publicado por rn às 22:16

Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO