08
Fev 09
Encontrei-te ali, enredado no meio de um remoinho de problemas que parecia estar à espera da primeira grande tempestade para desertar tudo à sua volta. Mas quis incentivar-te a lutar contra isso todos os dias. No fim, estava revoltada contra ti. Carecia de parte de ti, da demonstração da coragem e da força interior, e não o mostraste. Porquê? Não sei mas eu sabia que as tinhas. Já dei muito de mim por alguém, mas talvez, também nunca tenha dado o suficiente. Nunca dei tudo. Concluí que não eras tu a pessoa certa. Talvez ainda falte chegar essa pessoa. Não tivemos força para guardar o melhor e os melhores, não tivemos porque oferecemos ao ódio e à raiva a importância que eles nunca tiveram. Não me quero perder em palavras soltas que deixamos sair por falta de energia para serem presas cá dentro. Ao esquecermos tudo o que realmente era importante, tudo isso perdeu o espaço que era ocupado na tua e na minha vida. E não, não está certo.
publicado por rn às 14:13

Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO